Estudos sobre Dança

Reações da igreja à influência artística

Por Oziel Alves - REVISTA ENFOQUE GOSPEL/  31/08/2007

Durante muitos anos, a igreja evangélica se posicionou incisivamente contra a participação de cristãos em todo e qualquer tipo de manifestação artística e cultural. Para o conservadorismo, a arte possuía o DNA do pecado. Além disso, ela representava um convite ao pensamento mundano. Dança, teatro, cinema e moda estavam entre as categorias mais desprezadas. As artes cênicas e dramáticas, desde a época da ferrenha oposição dos puritanos no século 16, foram associadas a falsidade, embriaguez, blasfêmia e imoralidade. A dança e a moda, à vaidade, sedução e prostituição. O cristão era proibido de freqüentar salas de cinema, teatros, assistir a espetáculos e apresentações, muito menos fazer parte de elencos ou da produção de eventos direcionados ao público secular. Aquele que tivesse o sonho de representar artisticamente – caso quisesse permanecer no rol de membros da denominação – que reprimisse tal desejo ou vocação.

A repressão cultural não parava por aí. Certos tipos de música, embora consideradas sacras, não eram permitidas no templo. Basicamente, o conteúdo das letras e a velocidade rítmica determinavam sua aprovação ou reprovação. Ritmos como rock, punk, samba, rap, tango, bossa nova, fox, entre outros, e instrumentos como guitarra, pandeiro, bateria etc., eram censurados pela liderança. Alguns por lembrarem a rebeldia e o protesto, outros a lascívia e as religiões afro. Literatura que não tivesse aspecto moral ou espiritual não podia edificar o crente. Ficções e romances narravam situações mentirosas e, por isso, eram desaconselhadas no meio cristão. Arte, entretenimento e ociosidade formavam o triângulo perfeito para a instalação da “oficina de Satanás”. Este conservadorismo exacerbado se estendeu por décadas e influenciou significativamente na formação de gerações completamente alienadas da arte e da cultura, de maneira geral. Para Rogério Nascimento, pastor da igreja O Brasil para Cristo de Erechin (RS), “esta oposição teve seu início entre as comunidades evangélicas nórdicas, onde os crentes eram levados ao isolamento total de qualquer manifestação cultural, consideradas diabólicas. Depois, esta idéia se desenvolveu entre os puritanos da América e resultou nos círculos de santidade do final do século 19. A partir daí, ramificações surgidas desses movimentos trouxeram esta mentalidade às igrejas brasileiras, onde o fenômeno pastoral de controle total sobre a cabeça dos membros chegou ao extremo”.

A opressão à criatividade instaurou uma enorme escassez de desenvolvimento da arte contemporânea entre os evangélicos. Aqueles que insistiam, tentando colocar em prática seu talento, eram desestimulados. A igreja sufocava a arte. A partir dos anos 80, com o surgimento do neopentecostalismo, inicia-se entre as denominações mais liberais um processo de evolução. O tempo do obscurantismo cultural começa a ceder espaço. Freqüentar o teatro, ir ao circo, ao cinema etc. passa a ser liberado, embora sob fortes críticas dos tradicionais. Apesar do afrouxamento nos usos e costumes, a participação efetiva do cristão nas artes seculares ainda é tema polêmico.

De lá para cá, mais de 25 anos se passaram. Surgiram novas denominações, grupos de dança e shows gospel em casas de espetáculos e em superpalcos com muita luz e efeitos especiais. A igreja passou a reconhecer a importância sublime da arte como forma de expressão, porém continuou exigindo dos artistas a sacralização estética dos conteúdos, o que dá início a uma nova discussão.

Músicos, compositores, dançarinos(as), cantores(as), dramaturgos, escritores, artistas cristãos, em geral, estão liberados para “criar”, desde que suas obras tenham cunho religioso, sejam utilizadas na igreja ou até fora dos templos, mas com finalidades explicitamente evangelísticas. Generalizando, exceto raras exceções, a igreja não demonstra interesse em que seus artistas alcem livre vôo pelo mundo das artes seculares. Ela se orgulha em ver as obras de autores e artistas cristãos sendo reconhecidas pela população mundial, como Dostoievski, autor de Crime e Castigo, ou Tolkien, autor de O Senhor dos Anéis, entre outros consagrados. No entanto, não incentiva os atuais artistas cristãos que rompam a barreira da arte religiosa e mostrem ao mundo que é possível produzir arte relevante, apreciáveis por cristãos e não-cristãos, sem ser profanos e fúteis.

Postado por Adriana Dutra

segunda 10 setembro 2007 11:59 , em Estudos sobre Dança


O brilho que incomoda

Blog de ministeriodedanca :Ministério de Dança Cristã, O brilho que incomoda

CONTA CERTA LENDA QUE UMA VEZ UMA SERPENTE COMEÇOU A PERSEGUIR  UM VAGA-LUME. ESTE FUGIA RÁPIDO, COM MEDO DA FEROZ PREDADORA, E A SERPENTE NEM PENSAVA EM DESISTIR. FUGIU UM DIA, E ELA NÃO DESISTIA. DOIS  DIAS, E NADA...

NO TERCEIRO DIA , JÁ SEM FORÇAS, O VAGA-LUME PAROU E DISSE À COBRA:

- POSSO LHE FAZER TRÊS PERGUNTAS?

-NÃO COSTUMO ABRIR ESSA EXCESSÃO PARA NINGUÉM, MAS JÁ QUE VOU TE DEVORAR MESMO, PODE PERGUNTAR.

-PERTENÇO À SUA CADEIA ALIMENTAR?

- NÃO.

- EU TE FIZ ALGUM MAL?

- NÃO.

- ENTÃO, POR QUE VOCÊ QUER ACABAR COMIGO?

- PORQUE NÃO SUPORTO VER VOCÊ BRILHAR...

 

ENCONTRAMOS MUITAS "COBRAS" NO NOSSO DIA-A-DIA. SÃO PESSOAS QUE " RASTEJAM " TODO O TEMPO, QUE NÃO CONSEGUEM VENCER PORQUE PASSAM O TEMPO TODO TENTANDO OFUSCAR A LUZ DE QUALQUER QUE OUSE BRILHAR PERTO DELAS. DEIXAM DE INVESTIR EM SI MESMAS E NOS DONS QUE DEUS LHE CONCEDEU, DESVIAM O FOCO DO SEU OLHAR. ENTÃO AO INVÉS DE FITAREM A LUZ DE JESUS, CONCENTRAM TODA A ATENÇÃO NO QUE O OUTRO ESTÁ REALIZANDO. MUITOS SÃO PREJUDICADOS POR ESSA INVEJA QUE AGE COMO UMA FERRUGEM, CORROENDO RELACIONAMENTOS, DESTRUINDO OPROTUNIDADES, MINANDO RELACIONAMENTOS COM DEUS, PROVOCANDO ANGÚSTIA E SOLIDÃO.

DEUS NÃO QUER QUE SEJAMOS "COBRAS", POIS ELE CRIOU HOMEM PARA BRILHAR COMO SEU FILHO UNIGÊNITO. O RASTEJAR É PARA SATANÁS, QUE DEVE COMER DO PÓ DA TERRA. OS FILHOS DE DEUS SÃO ESTIMULADOS A VOAR COM ASAS E COMO ÁGUIAS. AS "COBRAS" FICAM IMPOSSIBILITADAS DE IR À FONTE DE TODA A LUZ - JESUS CRISTO - E RECEBER O MESMO BRILHO, QUE ESTÁ À DISPOSIÇÃO DE TODOS. BASTA OLHAR PARA O ALTO!

VOCÊ ACHA QUE NO MEIO CRISTÃO TEMOS MENOS CHANCE DE ENCONTRAR ESSAS "COBRAS"? HAVERÁ UM MODO DE TRATAR COM ESSAS PESSOAS PARA NÃO SE DEIXAR PREJUDICAR E APROVITAR A OPRTUNIDADE PARA AJUDÁ-LAS?

OBS.: TEXTO RETIRADO DO SITE DA LAGOINHA.COM

 

POSTADO POR ADRIANA DUTRA

terça 04 setembro 2007 13:33 , em Estudos sobre Dança


...

Blog de ministeriodedanca :Ministério de Dança Cristã, ...

 Eu reflito muito no aspecto de pessoas  que fazem  parte de ministerios de dança das igrejas, mas nâo dá  o devido "valor". Nâo digo valor de dançar, mas o valor de realmente sentir a dança e viver tudo o que a lentra diz.

 Quando eu danço eu tenho sempre esta reflexâo de que a pláteia é de UM , é só Deus no seu trono de glória e honra, em que Ele me vê  na posiçâo de servo, arrependido e agradecido por Ele habitar em minha vida.

 Me entristeço porque às pessoas vão dançar apenas porque leva o nome de um ministério, ou porque faz parte do culto. Irmãos... A bíblia diz que Davi dançou com todas as suas forças para Deus, ele nâo se importou com roupas ou pessoas, mas sim de fazer Deus sorri, alegrar  pelo seu filho está em sua presença com alegria no coraçâo na alma! Creia, não faça nada para o Senhor por causa das pessoas.

 Você se sentirá amargurado por apenas ter dançado e nAo ter prestado um culto ao Senhor.

 

Postado por Adriana Dutra

segunda 27 agosto 2007 19:57 , em Estudos sobre Dança


Você Não é o Centro!!!

Blog de ministeriodedanca :Ministério de Dança Cristã, Você Não é o Centro!!!


Em I Pedro 5:6 lemos: 'Humilhai-vos, portanto, sob a poderosa mão de Deus, para que ele, em tempo oportuno, vos exalte'. Humildade é uma ordem absoluta para qualquer um que deseja liderar o louvor no canto ou na dança de forma efetiva. O coração da adoração é Jesus nosso Rei. Liderar o louvor é servirmos àqueles que estamos liderando, permitindo que eles vejam o autor e consumador de nossa fé. Não é o lugar de fazermos o que nós (líderes) queremos!, para manter atenção no coração de Deus por seu povo, é proteger de estabelecer minha própria vontade no louvor e dança:

1) Não escolha suas músicas favoritas para montar um período de louvor. Tenha certeza de que as músicas escolhidas vão comunicar o que está no coração de Deus, mesmo que você não goste tanto daquela canção.Seguindo este mesmo raciocínio.

2) Verifique se o seu planejamento para o louvor se encaixa com a expectativa do pastor ou líder do encontro. Eu não estou dizendo que alguém deve aprovar todas as músicas com antecedência. Mas, estar conectado com o responsável (ou aquele que vai pregar/dirigir) antes do início vai dar a segurança de que você entendeu mais daquilo que Deus deseja fazer naquela reunião. Pode servir como um ponto de checagem e equilíbrio para você.

Agindo dessa forma os ministérios cresceram afim de propagar para o Reino de Deus aqui na terra!

Postado por Adriana Dutra.

quarta 15 agosto 2007 08:48 , em Estudos sobre Dança


A Dança: em seu meio religioso...

Blog de ministeriodedanca :Ministério de Dança Cristã, A Dança: em seu meio religioso...

 

O que é dança?

*Segundo o Aurélio, é uma seqüência de movimentos corporais executados de maneira ritmada, em geral ao som da música. A arte da dança. Musica que se destina a ser dançada. A dança requer outros conhecimentos como: Passos: Ato de se deslocar de um ponto a outro, para trás, para frente e lados.Ritmos: Movimentos que se repete no tempo, com intervalos regulares, com formas fortes ou fracas.A dança como sabemos é uma seqüência, e precisa da junção do ritmo e dos passos para se formar uma “dança”.Leitura bíblica: IISamuel 6:14 -15Sabemos que Davi dançou com todas as suas forças ele deu tudo de se para louvar a Deus.Mas a dança na igreja existe algumas observações: 

·       Testemunho

·       Postura

·       Expressão

 ·       Comprometimento

 ·       Dinâmica

Hoje no meio evangélico existem muitos grupos de coreografia, dança, gestos etc., mas você sabe quantos tipos são? Existem aqui, alguns do que já pesquisei:1) Dança clássica: Delicada e com intuito de adorar a Deus com mais carinho e respeito.2) Dança espontânea: Conhecimento do que se faz com mais precisão e vigor sem temer ao que está fazendo e não se preocupar com a parte técnica.         3) Dança mecânica: Junção de passos tecnicamente elaborados com movimentos precisos e sem nenhum erro ou receio em fazer, não possui expressão e sim preocupação em não errar. 4) Dança profética: Dança com declaração de que Deus é Deus suposição do que esperamos e almejamos a vinda de Cristo. 5) Dança litúrgica: Muito usadas nas igrejas com forma de atividade no culto, não como um momento especial mais como parte integrante da programação, está também muito próximo da dança profética. 6) Dança exagerada: Silenciosa e ao mesmo tempo rústica, a dança exagerada também faz parte da dança profética e espontânea ela não exige conhecimento técnico mais quer uma vida única para Deus, exige liberdade de expressão movimento longos, saltos piruetas, sentimentos vividos no que a musica fala e sem a preocupação com o que as pessoa vêem ou com suas roupas, é uma dança que não estivesse ninguém, só você e Deus.

***Qual a diferença entre Gestos x Coreografia? 

Coreografia significa: A arte de compor bailados ou de anotar sobre o papel, os passos e figuras. Arte da dança. 

Gestos significa: Movimento do corpo, em especial da cabeça e dos braços, para exprimir (dar a entender, a conhecer) idéias ou sentimentos, ou para realçar a expressão. Em Êxodo 15:20 diz:A Antífona quer dizer versículo cantado pelo celebrante, antes e depois dum salmo. 

terça 14 agosto 2007 16:17 , em Estudos sobre Dança


|

Abrir a barra
Fechar a barra

Precisa estar conectado para enviar uma mensagem para ministeriodedanca

Precisa estar conectado para adicionar ministeriodedanca para os seus amigos

 
Criar um blog